27 de Janeiro de 2023

Notícias

NUCA de Jaicós promove rodas de conversa com alunos em alusão ao Dia da Consciência Negra

 

O Núcleo de Cidadania dos Adolescentes (NUCA), de Jaicós, com apoio da Secretaria Municipal de Assistência Social, promoveu na tarde desta quarta-feira (23), ações alusivas ao Dia Nacional da Consciência Negra, celebrado em 20 de novembro.

Para destacar a importância do 20 de novembro, que tornou-se a data para celebrar e relembrar a luta dos negros contra a opressão no Brasil, o NUCA realizou rodas de conversa com alunas de duas escolas da Rede Municipal.

A primeira, aconteceu na Escola Padre David Ângelo Leal, e o segundo momento, na escola Francisco Crisanto de Sousa. Em ambas, a conversa foi conduzida pelas assistentes sociais, Iraneide Ferreira e Monise Ellen Crisanto.

As profissionais abordaram sobre a importância da data, a luta da população negra, os direitos e também conscientizaram sobre o racismo.

A Assistente Social Monise Crisanto, disse que discutir a temática é de suma importância.”Promover atividades escolares com o tema do Dia da Consciência Negra é fundamental e de grande importância para a valorização do povo negro e a reflexão acerca do impacto da cultura e presença dessa população na cultura brasileira, bem como para combater a desigualdade racial”.

Iraneide Ferreira, ressaltou a importância do respeito à pessoa negra. “É importante que cada pessoa saiba seus direitos, pois assim, podem lutar por eles. Não devemos nos calar diante do preconceito, temos que dizer não ao racismo. A sociedade tem que entender que “negro” é gente assim como o branco e que graças a Deus e as políticas públicas, as minorias estão ocupando um papel muito importante na sociedade em geral. Hoje temos médicos negros, advogados, enfermeiros. Claro que sempre teve, mas era uma minoria, hoje podemos ver um número maior de profissionais “negros”. Por fim, deixo essa frase de Nelson Mandela: “Ninguém nasce odiando outra pessoa pela cor de sua pele, por sua origem ou ainda por sua religião. Para odiar, as pessoas precisam aprender, e se podem aprender a odiar, elas podem ser ensinadas a amar”.

Kelcileyane Pereira, mobilizadora do NUCA, agradeceu pelo espaço e destacou a importância do momento. “Estamos aqui para debater sobre a consciência negra e para dar voz a vocês. Agradeço a direção da escola, aos professores, por mais uma vez terem cedido o espaço para estarmos aqui com vocês. O negro hoje tem um espaço cada vez maior na nossa sociedade, mas nem sempre foi assim. E esse momento aqui é importante para que vocês tenham consciência de que tem voz e vez, que todos nós somos iguais e temos direitos e deveres. Vivemos num país diverso e temos que aprender a respeitar essa diversidade”.

Ao final, foram distribuídos folders informativos para todos os alunos.