25 de Outubro de 2021

Notícias

Comissão de Controle de Infecção Hospitalar do Florisa Silva inicia ações de prevenção de infecção e garante segurança do paciente

O Hospital Florisa Silva, em Jaicós , têm desenvolvido ações para garantir assistência à saúde segura e fornecer aos pacientes um cenário livre de infecções, realizando procedimentos baseados em evidências e em consonância com o Ministério da Saúde e ANVISA.

 

A portaria nº 2616, de 12 de maio de 1998 apresenta os eixos norteadores para instituir a CCIH no âmbito hospitalar. Nesse sentido, no dia 18 de setembro, à Diretora do Hospital Florisa, seguindo as recomendações do Ministério da Saúde e Vigilância Sanitária designou novos membros para as ações no âmbito do Hospital. Foram designados conforme regimento interno da CCIH do Hospital Florisa Silva os seguintes componentes:

Membros Consultores:

Inácio de Sá Bezerra Neto (Diretor Clínico do Hospital)

Helisson Coutinho Luz (Farmacêutico)

Maurilo de Sousa (Coordenador da CCIH-HFS)

Membros Executores:

Ana Carolina Ribeiro (representante equipe médica)

Maurilo de Sousa (representante equipe de Enfermagem)

Para a diretora do Hospital Florisa Silva a CCIH começa os trabalhos em um momento ímpar. “Esse momento o Hospital tem realizado grande número de cirurgias (como cesarianas, histerectomia, hernioplastia, ooforectomia e parto vaginais). É de extrema importância que o Hospital adeque suas ações e capacite as equipes para tornar o Hospital livre de infecções. A CCIH vêm para somar junto à direção e a gestão” disse Maria Auzenir de Paiva Granja Menezes.

Para o Enfermeiro e Coordenador da CCIH, Maurilo Franco, é um momento ímpar. “Tudo está sendo programado e organizado dentro das necessidades de trabalho do Hospital. A comissão já está formada e o Programa de Prevenção e Controle de Infecção Hospitalar do Florisa Silva já está em andamento. O plano de educação continuada dos servidores também está pronto, agora é mão na massa. Afinal, coordenação é trabalho e exige empenho e dedicação para que as coisas andem e aconteçam e saiam do papel” frisou.

Para a médica e membro executora da CCIH a atuação por meio de atividades de vigilância epidemiológica em setores críticos do Hospital, terá como principal função o prevenção de infecções hospitalares e o combate à resistência microbiana. “Dessa forma poderemos oferecer mais segurança aos pacientes e profissionais, assim como uma maior qualidade no nosso serviço de saúde”.

O Farmacêutico Helisson C. Luz ressalta que a principal função da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) é reduzir o risco de aquisição de infecções hospitalares por parte dos usuários de unidades de saúde, especialmente de pacientes internados, a fim de melhorar a qualidade da assistência. “É fundamental que o farmacêutico hospitalar atue ativamente e juntamente com a equipe multiprofissional da CCIH, a fim de manter o controle da infecção hospitalar e promover os cuidados necessários, uma vez que este proporciona o suporte técnico necessário e efetivo que pode garantir a qualidade assistencial dos pacientes em hospitalização”.

Para o Médico e Diretor clínico do Hospital Florisa Silva, Dr. Inácio de Sá Bezerra, “o próximo passo será traçar junto com a Comissão, objetivos e metas de alcance a curto, médio e longo prazo para alcançar o padrão de segurança hospitalar no âmbito das Infecções. A CCIH traz impactos positivos e a CCIH dará o melhor para que a segurança do paciente aconteça.”

Os membros da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) ressaltam dentre seus papéis:

· elaborar, implementar, manter e avaliar Programa de Controle de Infecção Hospitalar, adequado às características e necessidades da instituição, contemplando, no mínimo, ações relativas a:

· adequação, implementação e supervisão das normas e rotinas técnico operacionais, visando à prevenção e controle das infecções hospitalares;

· capacitação do quadro de funcionário e profissionais da instituição, no que diz respeito à prevenção e controle das infecções hospitalares;

· uso racional de antimicrobianos, germicidas e materiais médico-hospitalares;

· avaliar, periódica e sistematicamente, as informações providas pelo Sistema de Vigilância Epidemiológica das infecções hospitalares e aprovar as medidas de controle propostas pelos membros executores da CCIH;

· realizar investigação epidemiológica de casos e surtos, sempre que indicado, e implantar medidas imediatas de controle;

POR: Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH)

HOSPITAL FLORISA SILVA

JAICÓS-PI